Notícias

Federação convoca os Corretores de Seguros para ação decisiva


Fonte: CQCS


A Federação dos Corretores de Seguros convoca os Corretores para que os profissionais participem de uma nova audiência promovida pela Comissão Mista que analisa a Medida Provisória (MP) 905/19 - a qual revoga a Lei 4.594/64 e alguns dispositivos do Decreto Lei 73/66. A reunião acontecerá próxima terça-feira (11 de fevereiro).

E os corretores de seguros, que tiveram forte participação na primeira reunião, realizada nesta quarta-feira (05/02), defendendo os interesses da categoria, através de questionamentos diretos aos deputados e senadores que integram a comissão mista - poderão voltar a fazê-lo. Basta acessar https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoaudiencia?id=17847, endereço em que poderá não apenas assistir a audiência pública, como também enviar novas perguntas e questionamentos aos parlamentares.

Nessa audiência, irão participar, como convidados, representantes das Secretarias de Política Econômica e de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia; da Susep; da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho; da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho; e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Na ocasião, o presidente da Fenacor, Armando Vergilio, fará uma apresentação para os integrantes da comissão.

Nesta quinta-feira, a Fenacor enviou comunicado a todos os corretores de seguros convocando a categoria a “mais uma vez” unir forças em prol de uma questão de grande relevância.

O texto convida os corretores de seguros a procurarem os deputados e senadores dos seus respectivos estados que são integrantes da Comissão Mista (a lista completa está neste link: https://legis.senado.leg.br/comissoes/composicao_comissao?codcol=2314) para convencê-los da inadequação dos dispositivos da MP 905/19 que atingem a categoria. “A proposta foi incluída de forma açodada, exagerada e desnecessária na referida Medida Provisória, a qual tem como objetivo primordial criar o Contrato de Trabalho Verde e Amarelo”, destaca o comunicado.


« Voltar